Archive for junho \30\UTC 2008

h1

Another brick in the wall.

junho 30, 2008

   

Na internet, acontecem coisas meio prosaícas. No blog Dia de Beatué uma menina acabou citando que estudou no colégio Santo Agostinho, e como eu tbm tinha estudado lá comentei a coincidência,  relembrando que foram tempos macabros. Outras meninas também deram a sua opinião e o assunto rendeu, o que me deu a idéia de escrever sobre isso aqui. Quero deixar claro, como colégio não tenho nada contra o CSA ( mas pessoalmente tenho muita coisa hahaha…). Estou falando dele especificamente porque tive a experiência de estudar lá, mas a minha crítica vai para qualquer colégio que ainda não se ligou que estamos no século XXI. A não ser é claro, pelas aulas de informática. O maior interesse desses colégios são os números no vestibular, por mais que digam o contrário. E foda-se o resto. O que não é de todo mal, para quem se adapta as chances de passar até são bem boas. Mas eu peço que me apresentem alguém que tenha ” se adaptado” sem nenhuma seqüela, ou sem grandes prejuízos na vida social. Muitos só agüentavam aquele inferno por causa dos amigos. Como a adolescente rebelde que eu era , nem isso consegui fazer por ali. Não escapei de encrenquas e de algumas visitas á coordenação. Aliás, eu não sei pra que que existem coordenações nesses colégios. Eu já vi situações terríveis de bullying, agressões verbais e torturas psicólogicas com algumas pessoas porque simplesmente não seguiam o padrão dos ” descolados”. E alguém fazia alguma coisa? Neca.

Não posso negar que alguns professores eram ótimos , afinal devem ser alguns dos mais preparados do mercado. Mas por mais boa vontade que tivessem, imagina dar aula em 7 turmas de mais ou menos uns 50 alunos. Não tem quem consiga manter uma relação mais pessoal. Você é um número e ele alguém que vai ter que te passar os conteúdos na velocidade da luz porque o colégio tem que estar á frente dos outros. Acho que eles só conseguiam se lembrar daqueles que tiravam 10 ou zero.

Acho que o mais me incomoda, no entanto é a contradição que esse colégios que dizem ter valores ” católicos” acabam caindo. Acho que estimular a competição de forma não saudável, se omitir diante de agressões de alunos e fazer do colégio um ambiente frio e impessoal, não são exatamente valores católicos.

Podem me questionar e dizer que se fosse tão ruim ,não ia ter fila de gente querendo entrar, nem pais desesparados porque o filho não passou na prova de um dos melhroes colégios da cidade. Eu compreendo.  Gilberto Gil já dizia ” mães zelozas, pais corujas” …E qual pai e/ou mãe que não deseja o melhor para o filho? ” Seu filho, estuda no CSA? Puxa, parabéns lá é super puxado né…” , ” É um ótimo colégio ele deve adorar” ” Ah, todo mundo que estudou lá passou…” 

Os meus também queriam…Mas depois de virem que eu estava infeliz, me metendo em uma confusão atrás da outra , deixando de ir até em festinha de família pra ficar estudando e que eles estavam gastando uma nota com professores particulares e eu enchendo o saco todo dia pra mudar de colégio, eles mudaram.  Podem pensar que eu fui fraca,burra, covarde ou simplesmente sou uma menina mimada que “não agüentou o tranco”. Digo logo: prefiro ser tudo isso e ser feliz.  E estando lá definitivamente, eu não era feliz.

O que não quer dizer que o colégio não funcione para algumas pessoas. Ainda mais aquelas que entram desde os 6 anos de idade e perdem infância e adolescência. tudo bem, o resultado final alguns dizem compensar. Para mim, não compensaria.  E na prática muita, mas MUITA gente que estudou um bo mtempo no Santo Agostinho foi parar na Puc.

Tudo bem, a Puc é linda, fofa, excelente facudade e  etc. Mas convenhamos: qualquer anta passa na Puc. Não porque a prova seja fácil, é quase no nível das facudaldes públicas, mas é porque rolam tipo umas 10 reclassicações( com excessão talvez para Relações Internacionais e Direito, um pouco mai concorridos) aí não tem como. E outra, estamos no Brasil. Não é todo mundo que dar os 1500 de Só mensalidade. Quem puder praticamente, está dentro.  Ou seja ,se os anos de sofrimento não serviram nem pra passar pra uma facudlade pública, sei não hein… Claro que isso depende muito mais do aluno do que do colégio.  Tem quem passe para uma faculdade pública estudando em  alguma” boate-shopping disfarçado de escola”.

Mas antes esse colégios preparassem para a vida também. Que te falassem que sim, o mundo é uma selva tem muita competição, mas que isso não te dá o direito de passar pro cima de ninguém, que as pessoas não devem ser desprezadas apenas porque são diferentes de um ideal, que Deus é amor e perdão e não um super julgador e por aí vai.

 Ok, quem educa é pai e mãe, óbvio mas acho que um lugar onde muitas vezes você passa anos da sua vida e um número considerável de horas, deve ter um papel importante também. E les deveriam estar um pouco preocupados em formar indivíduos críticos e conscientes e não apenas mais alguns tijolos na parede.

 

 

 

Anúncios
h1

Porque ele é foda.

junho 26, 2008

“Eu vou embora sozinha. Eu tenho um sonho, eu tenho um destino, e se bater o carro e arrebentar a cara toda saindo daqui. continua tudo certo. Fora da roda, montada na minha loucura. Dá minha jaqueta, boy, que faz um puta frio lá fora e quando chega essa hora da noite eu me desencanto. Viro outra vez aquilo que sou todo dia, fechada sozinha perdida no meu quarto, longe da roda e de tudo: uma criança assustada”

(Caio Fernando Abreu, Dama da Noite)

Ps: Esse é um dos melhores contos do Caio F., na minha opinião. Mas valhe a pena ler t-u-d-o o que ele escreve.

h1

Fashion Rio e SPFW

junho 23, 2008

Eu confesso que não vi nada que me enchesse muito os olhos nas semanas do Fashion Rio e SPFW Verão 2009. Muito mais do mesmo…Beges, tons de areia, inpirações marítimas e navy( navy no verão! alguém ainda aguënta isso?). Sei lá, pode até ser mal humor da minha parte, mas pelo para mim as coleções de inverno estavam bem mais criativas. Mas como tudo na vida, há as boas surpresas. A Triton, que eu nunca dei muita bola, me surpreendeu. Eu lembro da febre do ” gatinho félix de lantejoulas” e de uma calça jeas cargo  da marcaque todo mundo do circuito Leblon-Gávea tinha. Mas adorei esse desfile. Pra começar a passarela estava linda, cheia de borboletas, e por mais que o tema música não seja nenhuma novidade, a leitura rock n´roll deu certo, é como se você botasse a Amy Winehouse e a Avril Lavigne no liquidificador e resultado seria praticamente o desfile. Bem jovem e até digamos assim, meio ” heavy metal”, para uma coleção de verão. Mas quem sem importa? O resultado foi lindo:

delineador marcante inspirado em...advinha?

 

Depois dessas fotos, tenho uma enorme vontade de cantar: “I wanna rock´n roll all night e party every day…”

Também achei fofésimo o desfile da Cantão,  que misturou inspirações do Havaí e do Japão , cirando quimonos lindos, e estampas de babar. Eu vi uma entrevista com a Iamê, estilsita da marca e ela disse que as bolsas tipo saco ,são exclusiverrímas só existe uma de cada tipo de tecido. Só resta saber com que precinho isso vai chegar nas lojas…

O biquini ” quero já ” da Lenny:

A bolsa incrível do Ronaldo Fraga:

A Maria Garcia, é para mim a filha fofa da Huis Clos, adorei esse look:

O bordado luxuoso de Isabela Capeto:

E para finalizar o  vestido da Totem que se inpirou em 68,( a trilha do desfile deve ter sido uma delícia… Mutantes, Caetano, Gal…)

Enfim, acho que era o que eu compraria se tivesse cartão de crédito sem limites, hahaha…..

h1

Resolucções de uma quase recém-formada…

junho 20, 2008

Essa história de estar quase se formando e fazendo monografia, é uma loucura. E ainda mais conciliar com estágio, e outros trabalho de outras matérias. Loucura total. Mas para a minha alegria ou não , pelo visto o furacão está se acalmando,e daqui a pouco se tudo der certo pelo menos as férias da faculdade, serão eternas.

O que me traz um pouco de melancolia , é verdade. Amo aquele lugar. Sou aquele tipo estranho que se apega mais ao lugar do que as pessoas, tenho meus motivos pode acreditar. Andar por ali, talvez, pelas últimas vezes está tendo um gostinho especial. Quero provar ainda todos o salgados engordativos que ainda não provei, alugar aquele livro na biblioteca que o tempo me impediu de alugar, entrar em alguma sala que ainda não entrei, descobrir alguém que eu ainda não vi,e de preferência descobrir algum curso de extensão que eu possa fazer para que não seja exatamente o fim.

É engraçado falar em fim, quando na verdade você está apenas começando e ainda tem muuuito chão pela frente. Nada mais é do que um novo começo, aliás como sempre. Mas vamos lá ao que quero fazer quando estiver totalmente livre da faculdade e o trabalho permitir.

Ler qualquer coisa que não esteja relacionada ao tema da minha monografia, amo moda mas não aguento mais ler livros SÓ sobre esse assunto. ” Comer, rezar,amar”, ” Toda Terça”,” Castelo de Vidro” e ” Faze-mes falta”, já estão na lista. Se alguém quiser me dar de presente , eu aceito. Hahahaha

Viajar. Nem que seja por um fim de semana ou um feriado. A mongorafia me prendeu bastante nesse sentido. Mas a FLIP já está acertada. Graças!

Ir no cinema numa quarta-feira e ver três cabeças além de mim. 90% de chances delas serem brancas, claro.

Fazer algum curso que realmente me interesse.

Arrumar meu armário. Tudo bem que uma semana depois ele estará bagunçado de novo, mas eu preciso pelo menos saber o que tenho, o negócio tá um caos.

Olhar menos para a tela do computador. Bem menos.

E depois de tudo isso, ver que eu consegui meus obejtivos estou fazendo os cursos, trabalhando naquilo que eu quero , etc, etc, etc e me pegar sem tempo pra nada de novo.